Grupo 4 2017-2

De Projeto Paisagístico
Ir para: navegação, pesquisa

Apresentacão TP1a Apresentacão TP1b

PROJETO PAISAGÍSTICO - RESUMO APRESENTAÇÃO TP1b

PARQUE LAGOA SECA

O grupo escolheu como área de estudo e intervenção a área da mineração Lagoa Seca, que se localiza entre os bairros Belvedere, Mangabeiras e Sion, além da vila acaba mundo.

Por estar no limite desses 3 bairros e da vila, o local envolve várias diretrizes que não conversam entre si, principalmente pelo interesse de cada parte ser bem diferente. Além disso, a posse da área pela mineradora também agrega dificuldade uma vez que quer lucrar com o uso futuro dela.

O grupo utilizou de cartografia, entrevistas, estudos de notícias, reportagens e artigos sobre a área para entendê-la melhor e prever as consequências de diferentes possibilidades e intervenção na área.

A princípio, abordamos as seguintes possibilidades para a área: um parque urbano, uma ligação viária entre o belvedere e o mangabeiras, empreendimentos de habitação que retornassem o dinheiro para a mineradora e a manutenção das habitações da vila.

A partir de estudos o grupo concluiu que seria impossível fazer a vontade de todos os lados envolvidos e resolvemos seguir o caminho do que seria ideal para o local e não do que provavelmente aconteceria com a pressão imobiliária e da mineradora. Dessa forma, deixamos de lado a ideia da implementação da via de ligação Belvedere-Mangabeiras por não sanar o problema de mobilidade da região e ainda descaracterizar o bairro, principalmente a Praça do Papa que provavelmente se tornaria semelhante a atual Praça Raul Soares. E ainda não permanecer com o empreendimento imobiliário que acarretaria em uma sobrecarga nos sistemas da região, como viário, drenagem, esgoto que já não comportam adequadamente a demanda atual.

Assim, optamos pela implementação de um parque memorial, que traria benefício à população não só do entorno imediato, mas de toda a cidade. O parque se basearia em museus como Inhotim e Balboa Park em San Diego, sendo institucional e retornando lucros para a mineradora.

Estudamos dessa forma como o parque se incluiria na paisagem do local, através dos seus acessos e de suas visadas. Propusemos 2 acessos distintos, o principal seria pela Avenida Celso Porfírio Machado que apresentaria uma conexão com a praça Dr. Iris Valadares, já existente e atenderia principalmente ao Bairro Belvedere. Já o segundo acesso ocorrerá pela Rua Correias, recepcionando os usuários que chegam pelos bairros Sion e Mangabeiras, além disso, propomos uma ligação pela Praça JK com a Rua Correias para facilitar a chegada e não sobrecarregar o trânsito na rotatória que liga a Av. bandeirantes com a Patagônia. Em ambos os acessos, foram propostas melhorias de infraestrutura como por exemplo aumentar a largura da caixa das vias, criar passeios e melhorar a iluminação pública.

Fizemos também, algumas propostas do que poderia ser inserido dentro do parque, como uma ópera em uma das cavas de mineração, um mirante na outra e um teleférico com potencial turístico com visibilidade para a cidade toda. Além dessas 3 possibilidades, propusemos um mirante na área mais plana do terreno, com visão para toda a cidades e museus nos topos de morro que se interligarem internamente. Ao estudarmos a configuração do terreno do parque, percebemos a existência de pontos de visada privilegiada e propomos que a implantação das instituições e áreas de serviço estivessem nestes pontos de visada privilegiada, de modo a tornarem-se pontos focais na paisagem do parque, orientando as pessoas que estivessem ali.