Projetos 2019.2

De Projeto Paisagístico
Revisão de 16h55min de 17 de outubro de 2019 por Marianaotavio (discussão | contribs)

Ir para: navegação, pesquisa

Atividade AULA dia 24/09

  • Preencher esta página da wiki com as informações do grupo:
    • Título do Projeto
    • Nome e email dos integrantes do grupo
    • Resumo do Projeto
    • Link para o material apresentado nas últimas semanas
    • Página do grupo detalhando as informações segundo o Roteiro TP1a


PAISAGEM CULTURAL EM BH

400px

Análise da zona cultural do baixo centro e dos conflitos socioespaciais existentes.

Integrantes do Grupo

  • Ana Beatriz Moreira anabeatrizr.moreira@gmail.com
  • Ana Carolina Serra anacarolinaserra.arq@gmail.com
  • Fernanda Barbabela fernandabarbabela@gmail.com
  • João Caetano joao.avc.souza@gmail.com
  • Maíra Louise mairalmfreitas@gmail.com
  • Vinicius Luiz vynyluizf@gmail.com


PAISAGEM RUA PARAIBA

400px

Análise da transformação da rua Paraíba na Savassi ao longo dos 10 ultimos anos. Panorama visual e das relações das edificações com a rua. Proposta de diretrizes que preservem a paisagem savassiana.

Integrantes do Grupo

  • Ana Carolina Carvalho carvalhoanacarolina@hotmail.com
  • Debora K. deborakan.ufmg@gmail.com
  • Romario Cumbers romariopecg2015@gmail.com
  • TP1a Primeira Análise Linha do Tempo
  • TP1b [1]

RUA SAPUCAÍ

400px

Estudo de caso da apropriação do espaço da rua Sapucaí no contexto da ocupação de Belo Horizonte ao longo dos anos, especificamente a partir da última década, no que se refere à reocupação do baixo centro e às recentes apropriações do espaço da rua com diferentes chamarizes (gastronomia, arte e cultura) convergindo em atrativos que causaram uma recente transformação da paisagem local.

Arquivos do trabalho aqui!

Integrantes do Grupo

  • Michelle Marques michellemarques.arq@gmail.com
  • Natália Ravagnani natalia.ravag@gmail.com
  • Thiago Martins Casarin thimcasa@gmail.com

LAZER INFANTIL

400px

Crianças são termômetros para medir a qualidade dos espaços. Tornar uma cidade mais atrativa, acolhedora e segura para o público infantil significa transformá-la em um local melhor para todos. Assim, propõe-se um estudo para identificar potencialidades em espaços públicos em Belo Horizonte e propor diretrizes para torna-los mais estimulantes e convidativos.

Integrantes do Grupo

  • Carolina Araújo
  • Fernando Rocha
  • Mariana Otávio marianaotavio97@gmail.com
  • Marina Dolabella marinadolabella@gmail.com
  • Thomaz Marcatto thomazmarcatto@gmail.com

TAQUARIL

400px


Agroecologia Urbana como fundamento para a recuperação de paisagem na área de mineração do Taquaril (BH)


(imagem localidade na mancha urbana)

O projeto contempla uma área na região leste de Belo Horizonte, em seu limite do município: os bairros Taquaril, Granja de Freitas, Vera Cruz, Ana Lúcia, Castanheiras, Novo Alvorada e Jardim Pirineus, assim como e, principalmente, a área de mineração denominada Mina Corumi. Comumente, o nome Taquaril é usado para designar esta região, pois este é o maior bairro da região e pois, anteriormente, o limite deste ter sido maior e englobar o que hoje formam outros bairros.

A mina Corumi é uma cava de área muito expressiva na região, explorada pela EMPABRA (Empresa de Mineração Pau Branco), e em breve será desativada. Neste ponto, torna-se relevante outros elementos paisagísticos do entorno, como a Mata da Baleia e o Parque das Mangabeiras. Juntamente com o argumento de que a mineração é realizada, em parte, em área de preservação ambiental, o ambiente torna-se assim um grande potencial para reintegração às matas através da recuperação. A Câmara Municipal de Belo Horizonte já solicitou, em outubro de 2018, que a empresa apresente um plano de recuperação da área. Assim, há outro elemento condicionante na área que nos leva a este trabalho: o CEVAE Taquaril (Centro de Vivência Agroecológica), da PBH.

(imagem condicionantes)

Diante disso, é também importante definir o que é a agroecologia: "A ABA (Associação Brasileira de Agroecologia) define a Agroecologia como ciência, movimento político e prática social, portadora de um enfoque científico, teórico, prático e metodológico que articula diferentes áreas do conhecimento de forma transdisciplinar e sistêmica, orientada a desenvolver sistemas agroalimentares sustentáveis em todas as suas dimensões." (ALMEIDA, Daniela; "Conversações em curso: agriculturas na RMBH: Espaços de Produção Agrícola e a Trama Verde Azul", PDDI RMBH, 2017).

Assim, ao lidar com uma área de fragilidades sociais e ambientais, percebemos o potencial social, político, cultural e ambiental que a agroecologia tem para a lida com esta localidade, e que já tem um histórico na região pela existência do CEVAE. Vale ainda ressaltar que o CEVAE Taquaril foi o pioneiro, lugar de experimentação de um ideal, que deu abertura para a adoção da iniciativa pela prefeitura e a posterior aplicação em outros lugares da cidade.

(imagem cevae)

Além disso, a referência próxima do Parque das Mangabeiras serve, ao mesmo tempo, como exemplo positivo e negativo. A sua história, de acordo com o artigo "A Cidade, seus habitantes e a serra" (2011; Myriam Bahia Lopes, Marieta Cardoso Maciel, Yara Landre Marques, Rejane M Silva Sanches, Fátima Maria Ramos, Murilo Gentil, Cleber Teofilo de Freitas e Maria Eugênia Soares da Matta; acesso [5]) remonta também à recuperação de área de mineração, impulsionada pela militância ambiental da classe de artistas atuantes na região, que conseguiu o fim da exploração mineral lá. Entretanto, funcionou também como uma barreira verde de segregação espacial entre o Aglomerado da Serra e o bairro Mangabeiras, que se tornou um dos bairros de renda mais concentrada da capital.

Mediante tais questões, o objetivo deste trabalho consiste no aproveitamento da área da mineração Corumi, a ser futuramente desativada, pela agroecologia. Assim, queremos estudar as possibilidades de recuperação da área com a valorização de plantas nativas, para recuperação de nascentes, e a distribuição da terra recuperada para a população do entorno, através da utilização de tecnologias alternativas e saudáveis de manejo. Isto se baseia em nossas crença na alimentação de qualidade, na comida sem veneno, na organização social, na justa distribuição de terras, entre outros aspectos, como forte ferramenta.


Link para apresentação da área: [6]

Link para apresentação do registro da visita ao CEVAE: [7]

Link para apresentação da linha do tempo: [8]

Integrantes do Grupo

  • Clara Gonzaga Garcia claragonzagagarcia@gmail.com
  • Washington Gomes Costa costawashington@msn.com

RODOVIÁRIA E LAGOINHA

Sena-paris.jpeg

Imagem 1: Paris devolverá a orla do Sena aos pedestres | ArchDaily Brasil

Intervenção visual e funcional: Viaduto Nansen Araújo e Rodoviária

O projeto visa analisar e propor uma intervenção na região do viaduto Nansen Araújo, ao lado da rodoviária. Inicialmente buscou-se analisar temporalmente as intervenções na região, o que inclui o bairro Lagoinha e as edificações do entorno, identificando as principais mudanças físicas e de fluxos no local. A partir da análise, a proposta inclui uma manipulação da linha do tempo para visualizar se seria possível priorizar a caminhabilidade e o fluxo de pedestres no local ao invés de construir grandes viadutos e avenidas hostis, propondo uma nova paisagem para quem chega à cidade.

Dessa forma, a principal diretriz do projeto é mostrar como o local estaria atualmente caso diferentes decisões tivessem sido tomadas no passado, principalmente no que diz respeito à mudança da linha férrea/metrô para o subsolo e a não construção do viaduto. Também se considera uma integração da Rodoviária com a estação que se localizaria nos fundos da construção e um melhor diálogo com o rio Arrudas previsto para um futuro próximo.

Arquivos

Acesso aos arquivos de estudo inicial, linha do tempo, TP1a e projeto final: Grupo 6 2019-2

Integrantes do Grupo

  • Débora Carvalho d.carvalhocamara@outlook.com
  • Mariana Fernandes marifernato@gmail.com
  • Marina Andreata marina.andreata@gmail.com

ALBERTO CINTRA

400px

Resumo do projeto.

Integrantes do Grupo

  • Rafaela Martini rmartini95@hotmail.com

CONJUNTO PAULO VI

IMG 20190617 153736.jpg

Estudo dos impactos das mudanças climáticas no Conjunto Paulo VI – Belo Horizonte. A partir das perspectivas negativas para o futuro, procura-se minimizar esses impactos e proporcionar um cenário mais positivo para as pessoas e a paisagem do bairro.

Links

Integrantes do Grupo

  • Diandra Noemí diandra_noemi@hotmail.com
  • Stephanie Cabral stephanieclrf@gmail.com