Usuário:Mariana Lavalle

De Projeto Paisagístico
Ir para: navegação, pesquisa

Natureza Urbana

O planejamento e o desenho urbano, classificado por Jane como ortodoxos, são objeto de uma crítica radical. Segundo a autora, eles são responsáveis pela “Grande Praga da Monotonia” que assola espaços monumentais, padronizados, vazios, sem vida ou sem usuários. Jacobs, diz que para pensar simplesmente sobre as cidades e chegar a alguma conclusão, uma das principais coisas que se devem saber é que tipo de problema as cidades representam, já que todos os problemas não podem ser analisados da mesma maneira, visto que cada local possui suas peculiaridades.

No livro é citado o ensaio de Dr. Weaver, no qual explicita os três tipos de problemas que existem na analise das cidades: simplicidade elementar, complexidade desorganizada e complexidade organizada, ou seja, os teóricos do planejamento moderno convencional tem confundido constantemente os problemas das cidades com problemas de simplicidade elementar e de complexidade desorganizada e tem tentado analisá-la e tratá-las dessa maneira. Porém, a relação de vários pontos que formam uma cidade não estão desorganizados e sim em uma complexidade organizada, pois são diversos pontos interligados e que devem ser analisados dessa maneira, senão cria-se os planejamentos ortodoxos.

Para a autora um forte ponto para a recuperação da cidade como um espaço que tenha vivência e seja seguro é a busca pela diversidade, tentando transformar a autodestruição da diversidade e outros usos indiscriminados do dinheiro em forças construtivas, impedindo, por um lado, que haja possibilidade de degradação e, por outro, estimulando um bom ambiente econômico para os projetos pessoais numa área mais ampla da cidade, propiciando uma interação contínua com a vizinhança mantendo a segurança dos espaços públicos.

Outro ponto apontado pela autora foi a revelação de que a administração do homem pela natureza é a causa da destruição da mesma. As pessoas são atraídas a viverem em proximidade com as áreas de natureza abundante e com a posterior ocupação em massa ocasiona os atuais problemas naturais, poluições, desmatamento etc.