Usuário:Priscila Lopes

De Projeto Paisagístico
Ir para: navegação, pesquisa

Resenhas Vídeos Yona Friedman. TEMA C.


Os vídeos trazem uma reflexão sobre como estamos utilizando o nosso espaço já produzido e planejado. Traz para o meio de arquitetos e planejadores questões como a reutilização dos espaços em novos usos, propõe que a partir de agora não se construa tanto mais e, que, através de formas modulares, temporárias e leves de arquitetura possamos criar espaços efêmeros e de usos variados. Nos faz pensar que a lógica das cidades já construídas está ultrapassada, que assim como o ser humano e as dinâmicas mudaram, as cidades e suas formas de apropriação também pedem por mudanças. Os exemplos citados como Paris nas olímpiadas ou como o "Ville Spatialle" nos mostram como podemos fazer isso e como isso já está acontecendo. Não precisamos de muitos materiais elaborados, pequenas modificações no que já está lá basta. Utilizar formas temporárias como containers, arquibancadas e materiais facilmente montáveis e desmontáveis está na agenda do que se está exigindo para quem pensa e utiliza os espaços. Se fazer nova arquitetura e urbanismo utilizando os cenários urbanos já consolidados é possível e inclusive já está acontecendo.

Enfim, são vídeos que nos faz, como arquitetos e planejadores, repensar os espaços que estamos usando, setorizados em funções. Por exemplo, nos vídeos há a sugestão que utilizemos nossa casa como nosso escritório para que não seja construídos mais e mais edíficios com essa única função. Também mostra que o mundo já está cheio de arquitetos e planejadores, mas que não é por isso que não precisamos mais de seus serviços e sim, que estes serviços devem ser reformulados, ou seja, a forma de planejar e projetar. Nos vídeos é exemplificado de maneira lúdica, através de exemplos como serviços que precisam de um espaço que não fosse a casa, como serviços públicos, estariam alojados em caixas de containers, possuindo um caráter mais temporário e menos agressivo ao espaço. Sugerem também que as exibições dos museus sejam ao ar livre, que o mercado também o faça. Assim, estes vídeos nos impele a desenvolver espaços multifuncionais e sem pre determinações muito rigidas como estamos habituados atualmente.